Histórias da cidade: a rua, o ramal e a creche associados ao nome de Justino Teixeira

Não faltam motivos para os portuenses reconhecerem o nome de Justino Teixeira. Não só está associado ao local onde será erguido um novo complexo desportivo municipal, como também foi ele o responsável pelo projeto do histórico Ramal da Alfândega, do qual a cidade voltará a usufruir num futuro próximo. Mais surpreendente é o facto de este engenheiro ter estado envolvido na construção de uma creche no Porto.Justino Teixeira teria, por estes dias, motivos para estar satisfeito. O seu nome está associado à localização onde vai surgir um novo complexo desportivo municipal, agora que o Estado cumpriu a promessa de entregar o terreno na Rua de Justino Teixeira, pelo qual a Câmara do Porto aguardava há mais de dois anos, como contrapartida pelo novo centro de Saúde de Ramalde.A rua com o nome deste engenheiro e ferroviário fica nas imediações da estação de Campanhã e era, anteriormente, designada por Rua Nova da Estação. A localização não podia ser mais adequada, tendo em conta que a vida de Justino Teixeira foi dedicada à implementação e expansão dos caminhos de ferro em Portugal. Uma das suas obras, em particular, assumiu relevância para a cidade Invicta: elaborou o projeto do Ramal da Alfândega, que ligava a estação de Campanhã à Alfândega do Porto.Nascido em 1835, Augusto César Justino Teixeira ficou ligado a esse projeto, que ganhou andamento com a promulgação, em junho de 1880, da lei que autorizava a construção de “um ramal de caminho de ferro de via larga que, partindo da estação de Campanhã, ligue os caminhos de ferro do Minho e do Norte à Alfândega do Porto”, pode ler-se no site da CP.Seria já enquanto diretor da companhia dos Caminhos de Ferro do Minho e Douro que Justino Teixeira assistiria à abertura à exploração pública do Ramal da Alfândega, em novembro de 1888.Esta infraestrutura, desativada há mais de 30 anos, ganhará uma nova vida, estando em análise a possibilidade de conciliar no local o transporte coletivo, durante a semana, e o uso de lazer, aos fins de semana.Foi também Justino Teixeira quem planeou e dirigiu as obras do troço da Linha do Minho, entre as estações de São Bento e Campanhã, inaugurado em 1896.Porém, a obra que este engenheiro deixou no Porto não se esgota na ferrovia. Na verdade, o seu nome está também associado a um equipamento social que em novembro completará 130 anos desde a sua inauguração.O distinto edifício da Creche de Cedofeita começou a ser construído em maio de 1879, num terreno cedido pela Câmara do Porto. O arquiteto António de Fontes Soares e os engenheiros Justino Teixeira e João Carlos Almeida Machado ofereceram as plantas e o seu trabalho gratuitamente.A Creche seria inaugurada a 24 de novembro de 1891, com a presença do Rei D. Carlos e da Rainha D. Amélia. Nacionalizada após a implantação da República, em 1910, a Creche foi devolvida pelo Estado à Paróquia de Cedofeita, integrando-a no Centro Social Paroquial, em 1969. E continua a ser mais um motivo para recordar Justino Teixeira no Porto.